Os pronomes indefinidos são aqueles que se referem à terceira pessoa do discurso, atribuindo-lhe sentido vago, impreciso e genérico ou expressando quantidade indeterminada.

Ex. Alguém entrou no quarto e revirou todos os documentos que estavam sobre a mesa.

Fica claro que ‘alguém’ indica uma pessoa de quem se fala (uma terceira pessoa) de forma vaga e imprecisa. Esse sujeito existe, mas a sua identidade é desconhecida ou não se quer revelar.

Classificação:

  • Indefinidos substantivos: assumem o lugar do ser ou da quantidade aproximada de seres na frase.

São eles: algo, alguém, fulano, sicrano, beltrano, ninguém, nada, outrem, tudo, quem.

Ex. Quem avisa amigo é.

  • Indefinidos adjetivos: qualificam um ser expresso na frase, conferindo-lhe a noção de quantidade aproximada.

São eles: cada, certo(s), certa(s).

Ex. Cada povo tem suas tradições.

– Os pronomes indefinidos podem ser variáveis, ou seja, sofrer flexão de gênero e número, ou invariáveis.

Variáveis

Invariáveis

Singular

Plural

Masculino

Feminino

Masculino

Feminino

algum
nenhum
todo
muito
pouco
vário
tanto
outro
quanto

alguma
nenhuma
toda
muita
pouca
vária
tanta
outra
quanta

alguns
nenhuns
todos
muitos
poucos
vários
tantos
outros
quantos

algumas
nenhumas
todas
muitas
poucas
várias
tantas
outras
quantas

alguém
ninguém
outrem
tudo
nada
algo
cada

qualquer

quaisquer

 

* Também podem aparecer sob forma de locução pronominal.

São eles: cada qual, quem quer que, qualquer um, todo aquele que, tudo o mais.

Indefinidos Sistemáticos:

Existem alguns grupos que criam oposição de sentido. Como é o caso de:

– Algum/alguém/algo, que têm sentido afirmativo, e nenhum/ninguém/nada, que têm sentido negativo;

– Todo/tudo, que indicam uma totalidade afirmativa, e nenhum/nada, que indicam uma totalidade negativa;

– Alguém/ninguém, que se referem a pessoa, e algo/nada, que se referem a coisa;

-certo, particulariza, e qualquer, generaliza.

Essas oposições de sentido são importantes na construção de frases e textos coerentes, pois delas muitas vezes dependem a concordância, clareza e objetividade dos argumentos expostos.

Ex. Certas pessoas conseguem perceber sutilezas: não são pessoas quaisquer.