Pronomes

Em linguística, os pronomes são uma classe de palavras (variáveis em gênero, número e pessoa) que acompanham ou representam substantivos, servem para apontar uma das três pessoas do discurso ou situá-lo no espaço e no tempo.

A classe dos pronomes é presente na maior parte das gramáticas do alfabeto latino desde o século II, quando foi constituído o tratado grego ‘A Arte da Gramática’. Devido à grande heterogeneidade nas classes, alguns autores preferem desmembrá-las em classes menores.

Em geral, o emprego de cada pronome depende da natureza gramatical ou semântica do substantivo a ser representado, além de sua função gramatical na sentença e das palavras próximas. A associação entre um pronome e um substantivo é essencialmente definida pelo contexto, podendo mudar ao longo do discurso.

No alfabeto português, em particular, há dezenas de pronomes, como ‘eu’, ‘lhe’, ‘que’, ‘cujo’ e ‘isto’, que podem substituir substantivos ou frases preposicionais derivadas deles. Podemos concluir que os pronomes têm as funções típicas de substantivos (sujeito, objeto e complemento), de adjetivos (modificam os substantivos) e de advérbios (modificam verbos e adjetivos).

Como já dito, a escolha dos pronomes dependem do número (singular ou plural), do substantivo representado e algumas vezes do seu gênero (masculino e feminino); sem contar a sua pessoa verbal (primeira, segunda e terceira) e sua função gramatical.

Etimologia

O termo “pronome” vem do latim pronomen, que significa “que está no lugar do nome”.

Definição

Podemos definir o pronome como a palavra que substitui ou acompanha outra e relaciona a palavra substituída ou acompanhada às pessoas do discurso. Os pronomes podem atuar substituindo, identificando, apontando ou qualificando outras palavras. Eles sofrem variação de gênero, número e pessoa.

Classificação dos pronomes

Por causa da diversidade de papéis que os pronomes podem desempenhar na sentença, eles são classificados em seis tipos:

  • Pessoais – substituem os nomes e indicam quem são as pessoas do discurso (também chamadas de pessoas gramaticais). Os pronomes pessoais podem ser do caso reto, do caso oblíquo ou de tratamento;
  • Possessivos – referem-se às pessoa gramaticais expressando a idéia de posse;
  • Demonstrativos – usados para indicar a posição em que um ser se encontra em relação a outras pessoas do discurso;
  • Indefinidos – referem-se à terceira pessoa gramatical, dando a ela sentido impreciso ou expressando quantidade indeterminada;
  • Interrogativos – servem para formular perguntas;
  • Relativos – fazem referência a palavras que vieram antes no discurso.

Os pronomes em inglês e em espanhol exercem as mesmas funções que os pronomes em português: substituem, apontam, identificam e qualificam palavras. A diferença é a forma de classificação adotada nessas outras línguas.